Não estranhe se a imagem acima parecer um pouco antiga, ela de fato é: assim era o Instagram em 1º de janeiro de 2013.

Mas antes de continuarmos, vamos relembrar o que se passava no mundo naquela época

banner blog referente ao conteúdo sobre a regulamentação da reforma tributária
  • O Facebook era a rede social mais usada do mundo;
  • O Papa Bento XVI se tornou o primeiro pontífice a renunciar ao cargo;
  • O iPhone 5 e o iPad 3 eram novidades (hoje, já conhecemos outras 8 gerações dessas tecnologias);
  • A SpaceX ainda não havia conseguido lançar seu primeiro satélite ao espaço;
  • A rede social Google+ atingiu a marca de 500 milhões de usuários;
  • A Nokia lançou o celular Lumia 920. 

Muitas coisas mudaram nesses quase 10 anos. Me arrisco a dizer que nada permaneceu igual nessa linha do tempo.

O Google+, por exemplo, foi desativado em abril de 2019. A divisão de telefonia móvel da Nokia, por sua vez, foi adquirida pela Microsoft em 2014 e deixou de produzir seus próprios telefones.

No mercado tributário, não seria diferente.

Iniciada há mais de 20 anos, a discussão tributária mais importante do século finalmente foi a julgamento em 2017, sendo resolvida, embargada, adiada, julgada e, por fim, modulada. Foi algo tão impactante que foi, literalmente, apelidada de Tese do Século.

Mas, se as maiores mudanças ocorreram nos últimos cinco anos, você pode estar se perguntando porque eu escolhi justo o ano de 2013 para falar sobre.

A resposta é simples.

Foi naquela época que os rumos do setor começaram a ser moldados de forma nunca antes vista. O Tax Group trouxe o primeiro banco de regras fiscais do país, incorporando Inteligência Artificial ao dia a dia tributário.

Depois, permitimos que empresas de todos os lugares do Brasil tivessem acesso às mesmas tecnologias utilizadas pelas maiores organizações do país.

É por isso que, hoje, não temos medo de afirmar que o mercado tributário não é mais o mesmo.

E suas lideranças também não.

Num mercado que muda todos os dias, quem permanece estático acaba por ser devorado. Mas com um olhar atento às novas tendências e inovações, o Tax Group lançou novos padrões e despontou como a verdadeira liderança de uma era revolucionária para a história fiscal brasileira.