Em parceria já anunciada, a IBM Brasil, a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e a USP (Universidade de São Paulo) comentaram sobre as expectativas acerca dos projetos que desenvolverão em conjunto.  Os pronunciamentos aconteceram no Colloquium 2019, evento sobre tecnologia e inteligência artificial promovido pela IBM.

Com anúncio recente sobre a construção, junto a Fapesp, do Centro de Pesquisa em Engenharia em Inteligência Artificial do Brasil — que será localizado na Cidade Universitária da USP — , a IBM afirmou que pretende aprimorar a qualidade das pesquisas desenvolvidas no país, através da criação de um ecossistema favorável.

Para tanto, o programa será multidisciplinar, contando com a colaboração de pesquisadores de várias instituições e dos mais diversos campos de conhecimento. A ideia é obter mais diversidade na execução dos projetos, construindo um estilo de trabalho com ares essencialmente brasileiros, sem cópias às percepções de outros países.

Inclusive, uma das esferas que compõem a pesquisa tratará justamente sobre a Inteligência Artificial e a Sociedade, a fim de levantar debates acerca do real papel desta tecnologia no Brasil. 

Segundo o que declaram representantes da USP, intenção é permitir que, assim, o país descubra e explore novas possibilidades, bem como se desenvolva naquelas áreas em que lhe são mais promissoras as chances de destaque internacional.

No evento, muito apontou-se para o uso da tecnologia no desenvolvimento de uma agricultura sustentável e na extração de petróleo offshore. Ainda, demonstrações sobre doze diferentes práticas de inteligência artificial foram apresentadas ao público, tais como a utilização da tecnologia na análise geológica e na interação linguística entre humanos e ‘robôs’.

As instituições preveem um investimento de cerca de US$ 20 milhões no projeto, ao longo dos próximos dez anos. De acordo com as expectativas, os resultados dessa parceria irá avançar em muito a pesquisa brasileira no âmbito tecnológico, proporcionando benefícios a empresas, cidadãos e país, no todo.