Desde o dia 14 de outubro ficou mais fácil abrir filiais de empresas localizadas em estados diferentes da sede. Outras solicitações, como alterações no registro, transferências e extinções em âmbito interestadual também ficaram mais simples de realizar nas juntas comerciais de todo o país. 

Tudo isso se tornou possível graças à integração digital das juntas comerciais, basta realizar o pedido no estado em que está localizada a sede da empresa. Assim, o empresário não precisa mais se deslocar para mas de um estado para obter a aprovação de de seu pedido de registro. Esse fator era tido como um empecilho no momento de abertura de novos empreendimentos ou na expansão de empresas já existentes.

Previamente para realizar a abertura, alteração, transferência ou extinção de uma filial localizada em um estado diferente da sede, era obrigatória que a solicitação fosse registrada na junta comercial na qual estava localizada a sede e também na junta comercial da UF da filial. Com a integração digital das juntas comerciais se tornou possível a comunicação e troca de dados , de forma, eletrônica, entre todas as juntas envolvidas no processo.

O Ministério da Economia vêm trabalhando desde janeiro para a integração de dados da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim). O procedimento foi regulamentado com a Instrução Normativa nº 66, publicada em 7 de agosto deste ano. Além da redução dos prazos de registro, os usuários dos serviços se beneficiam com a diminuição de custos, na medida em que não precisam se deslocar por mais de um estado nem ingressar por meio de processos distintos. 

A integração digital das juntas comerciais é um marco importante no contexto atual de desburocratização. Além de facilitar a vida dos empresários reduzindo, pela metade ou até mais, o tempo e o custo necessário para realizar solicitações nas juntas, a integração incentiva a expansão e criação de novos negócios em todo o território nacional.