Há sete anos no mercado, o Tax Group coleciona não apenas grandes feitos, mas também grandes parcerias. Desde o início, buscamos cultivar relações sólidas e transparentes com cada um deles, a fim de contribuir para sua evolução profissional de forma significativa e agregadora. E, hoje, com mais de cinquenta sócios espalhados pelo país, temos muito orgulho das histórias que escrevemos ao lado de cada parceiro. 

É o caso de Pedro Renovato, nosso sócio há cinco anos. 

Tendo recentemente visitado a nossa sede em Porto Alegre, Renovato, compartilhou conosco as suas visões acerca de seu trabalho junto ao Tax nos últimos anos, em um depoimento muito gratificante para nós. Confira: 

.

Nesses cinco anos conosco, como foram as tuas experiências? Houve algum aprendizado ou conquista especial? O que obtivestes ao longo desse período?

.

“O propósito de buscar o Tax Group me atendeu completamente e mais além — o que de certa forma eu imaginava que poderia acontecer e foi uma das razões pelas quais vim para o Tax. 

Porque nós, advogados, nos atemos muito a parte jurídica, somos estudiosos da ciência do direito. E há uma diferença. Como eu costumo dizer: direito tributário não é difícil; difícil é o fato tributário. Matar alguém, por exemplo, é um homicídio. É um fato simples de se constatar.  Mas estorno de fluxo de caixa, o que seria? E autuação fiscal? Um processo de autuação, com vários volumes? Há, de certa forma, uma dificuldade maior, que foge um pouco do estudo do direito da ciência do direito em si. 

Então sempre senti a necessidade de ter no escritório um grupo contratado de auditores que pudesse investigar mais a fundo se aqueles números que, eventualmente, o Fisco nos apresentava nos autos de infração eram verdadeiros; se não havia algo a ser contestado.

Óbvio, que se você se debruça sobre isso, você vai achar. Mas com as outras tarefas jurídicas, o tempo nos demanda de certa forma que não podemos nos dedicar a um trabalho efetivamente um eficiente. Mas contratar um grupo de auditores, para mim, na época, também era impossível; muito custoso — além de todas as implicações que isso envolve. 

Então fui conhecer o Tax Group. E eu pude ver, nessa parceria, que ele poderia se ater a essa parte de auditoria e revisão da escrita fiscal, por exemplo, enquanto eu poderia nos dedicarmos mais às tarefas jurídicas. E a parceria foi mesmo um sucesso, porque não só agregou ao meu escritório como também trouxe todo o conteúdo tecnológico do qual o Tax Group é pioneiro e referência no Brasil”. 

.

E considerando os projetos que realizastes, como percebes a recepção das pessoas àquilo que o Tax oferece? Há barreiras, receios, algum outro tipo de dificuldade?

.

“Há cinco anos atrás, os receios eram bem maiores. As resistências e objeções que nos encontrávamos eram nitidamente maiores. Hoje eu percebo uma aceitação maior desse tipo de trabalho, mas não consigo identificar ainda se isso se dá em razão do trabalho da Tax estar sendo difundido de forma mais ampla no país ou se é por conta do crescimento da marca, em si. 

É uma nuance que a gente ainda não consegui identificar. Se é por conta do crescimento da marca — porque há investimento em marketing e em publicidade —, até porque o Tax já fez muitos trabalhos pelo país, todos muito exitosos, então também há um boca a boca muito forte. 

Enfim, hoje encontro menos objeções e menos resistências — embora ainda haja. Os empresários têm um receio de retaliações do Fisco Federal; do Fisco Estadual. Todas objeções que nós conhecemos e que sabemos que não se aplicam. Afinal é um trabalho de compliance que toda empresa referenciada faz”.

.

Como alguém que já está há bastante tempo conosco, o que tu elegerias como nossa principal característica? O Tax tem algum diferencial ao teu ver? Qual seria ele?

.

“O que me vem primeiro é o profissionalismo. Um profissionalismo muito forte; um respeito muito grande às regras postas — tanto com os seus sócios quanto com o regramento contratual junto aos clientes, que é seguido à risca. 

Isso dá muita confiança, estabilidade na relação e previsibilidade. Elegeria profissionalismo como a principal característica do Tax”.

.

E o Tax proporcionou alguma mudança ao seu desenvolvimento profissional? À sua relação com os clientes?

.

“Sim, porque aprendo muito com o profissionalismo do Tax. E enxergar isso me motiva a também aplicar, em minhas relações advocatícias com meus próprios clientes, esse mesmo profissionalismo. Percebo o quão importante isso é. O quanto me faz crescer junto ao Tax; junto aos clientes do Tax.  Então por que não aplicar dentro do escritório, de forma rígida, o profissionalismo que aprendo com o Tax?

O Tax também é referência disso tudo: de estar sempre na dianteira, com informação, com conhecimento e sempre com muito regramento; de respeito às regras, aos contratos; de maleabilidade, flexibilidade. 

As relações interpessoais não são matemática. São relações humanas. E, como todas elas, são subjetivas e precisam ser tratadas assim também”.

.

E as expectativas para os próximos anos, junto ao Tax?

.

“Espero me dedicar cada vez mais; estreitar cada vez mais os laços, porque só tenho a ganhar com uma essa troca de conhecimentos e de informações. Nessa época em que a inteligência artificial está chegando com muita força e mudando todas as relações de trabalho — mudando o mercado, em si — , é importante estar do lado de uma empresa como o Tax Group, que investe em ciência da computação, em sistemas, em inteligência artificial.

Obviamente só tem a agregar e fazer com que o nosso trabalho possa sempre dar o melhor”. 

.

.

Pedro Renovato é advogado, especialista em Direito Tributário pelo IBET SP. Natural de Campina Grande/PB, ele hoje reside em Natal/RN, integrando o escritório Borges & Renovato Advogados — que é associado ao Tax Group há cinco anos. Confira sua primeira entrevista conosco aqui.