Na última quinta-feira, dia 10 de outubro, a Receita Estadual do Rio Grande do Sul deu início a mais uma operação de combate à sonegação fiscal. Intitulada de ‘Teto de Vidro’, a ação irá investigar empresas do setor de vidros — tanto fabricantes quanto comercializadoras — que, ao todo, somam cerca de R$ 240 milhões em valores relativos ao não recolhimento do ICMS. 

Segundo o Fisco gaúcho, outras várias empresas do setor também já haviam sido fiscalizadas recentemente, numa ação que identificou mais de R$ 30 milhões em impostos sonegados. 

Coordenada pela Delegacia da Receita Estadual do Município de Caxias do Sul, a ‘Operação Teto de Vidro’ conta com a colaboração de nove auditores fiscais, quatro técnicos tributários e também do Batalhão da Polícia Fazendária. 

Ao longo deste ano, o Fisco do Rio Grande do Sul tem investido no combate à sonegação fiscal e à concorrência desleal, investigando não só empresas do setor de vidros, como de vários outros segmentos econômicos também. Exemplo disso é Operação Concorrência Leal, que já se desmembrou em seis diferentes ações. Na mais recente, diversos contribuintes foram notificados por condutas ilícitas no recolhimento do ICMS — práticas que somavam uma dívida de R$ 64 milhões. 

O objetivo dessas iniciativas é restaurar a arrecadação tributária no Estado — sanando os déficits causados por tais práticas — , bem como proteger os contribuintes que cumprem com suas obrigações fiscais de maneira correta. 

Além de anunciar que já existem outras operações semelhantes programadas para os próximos meses, o Órgão ainda afirma que estuda outras formas de reprimir o descumprimento deliberado da legislação tributária do Estado, a fim de mitigar este tipo de conduta entre os contribuintes.

.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mundo tributário? Assine o nosso newsletter e receba diretamente em seu e-mail as principais notícias fiscais e contábeis!